Josenildo Nascimento

COLUNA CULTURA POPULAR: A MATRIZ DE PAPACAÇA

Publicado por Josenildo Nascimento · Categoria Outros · 12/06/2017 16:43 · 4 Visualizações

  • Matriz de Papa Caça, de uma pequena igreja de taipa do inicio do Séc XVI tendo como fundador o capitão Mathias da Costa Vilela, a um majestoso templo, ampliado ao longo dos Séculos. Ampliada, nos anos de 1853 -55 pelos Freis italianos da OFM Capuchinhos: Caetano de Messina e Caetano de Messina Sobrinho e Cassiano de Comachio possui conceitos italianos de arquitetura e com técnicas africanas de edificação (pois os mestres de obra eram sábios escravos africanos),reformada no fim do séc.XIX por Mons. Marques( precisamente em 1884,data que está escrita até hoje no arco do presbitério).Mons. Dâmaso fez reformas na parte interna nos anos 20-30, e reformou e construiu altares comprou novas imagens: Santas - Teresinha, Joana, Cecilia, Inês, S. Pedro e S. Vicente e N. Sr.ª do Carmo de Lurdes , o par de N.sª da Agonia e Cristo da Agonia e, par de anjos e outras imagens, e retirou um antigo coro que cercava todo as naves laterais. E autorizou ao pintor Papacaceiro Joaquim Correntão a fazer telas e afrescos e solicitou ao Mestre de carpintaria membro da família Tenório chamado mestre “Véu” que talha-se os altares de madeira. No inicio dos anos 60 concluiu a torre do "relógio” (iniciada por Mons. Marques). Passou por reformas nos anos 80 e 90, principalmente na época de D.Edgar e dos Freis - Hélio e Zito: telhado de Brasilit e grades nas janelas, colocação de vidraçaria e pinturas externas e nos altares, pinturas nos altares principais feitas pela artista local Dilma Peixoto, lage nas capelas internas do Carmo e Antônio, restauração de imagens e reparos na calçada, reforma da pia batismal feita pelo artista local Eduardo “Santeiro”. Em 2003 foi reformada com recursos do Governo Federal conquistados pelo prefeito Daniel Brasileiro, nessa reforma colaboram na restauração das imagens a equipe do ateliê local de Dona Telma Benjoino com os artistas Paulo Tenório, o historiador e restaurador Sebastião Ribeiro e o carpinteiro “Dom Nilson, além da equipe de "Eduardo Santeiro” nos altares. Ainda no anos 2000 alguns de seu altares foram reformados pelo artista de Garanhuns Romualdo Tenório. Seus sinos proclamaram vários fatos históricos(nomeações de Padres, Bispos, Papas, falecimentos de leigos e religiosos, Abolição da escravatura e proclamação da Republica, fim de Guerras e etc.) Atualmente está com algumas pequenas rachaduras na torre do desativado “ relógio”.